22.5.10

Fernão Capelo Gaivota 2


«...-Ouve lá, Fernão - disse-lhe o pai com bondade. - O Inverno aproxima-se. Haverá poucos barcos, e o peixe das superfícies irá para zonas mais profundas. Essa história dos voos está muito bem, mas sabes que não te podes alimentar disso. Se tens mesmo de estudar, então estuda a comida e a forma de a conseguir. Não te esqueças de que a razão por que voas é comer.

Fernão baixou a cabeça, obediente. Durante os dias seguintes tentou comportar-se como os outros: tentou mesmo a sério, disputando com o resto do bando a comida dos pontões e dos barcos de pesca, mergulhando para apanhar pedaços de peixe e pão. Mas não conseguiu.

“É tão inútil”, pensou, deixando cair deliberadamente uma anchova, que lhe custara bastante apanhar, aos pés de uma velha gaivota que o perseguia. Poderia ter passado todo este tempo a aprender a voar.

E há tanto para aprender!»...»

Excerto do Livro Fernão Capelo Gaivota - Richard Bach

2 comentários:

A Luz A Sombra disse...

Marisa:
Em tudo nós temos de tentar ser como Fernão Capelo Gaivota, pois não só o que é mais fácil nos satisfaz...
Bom domingo
A Luz A Sombra

tossan® disse...

Fernão Capelo Gaivota! Gostaria de voar, bem, de certa forma eu vôo. Fotos fantásticas!