8.2.09

Sem Rumo


"Deus concedeu-nos o dom de viver; compete-nos a nós viver bem"

Voltaire

Dias cinzentos, passos seguros, para onde irão?
Por que passam sempre à mesma hora ditando assim
mais um dia de rotina e tédio.
Cá estou eu...dia após dia...Olho mas não vejo,
Sinto mas não sigo...Ouço mas não falo.
Perseguem-me esses passos seguros que se aproximam na calçada
sei que eles vêm aí...sei que eles estão perto
cada passo teu me leva mais perto do abismo,
cada movimento me dá a certeza do inevitável
sim...aí estão eles...vejo a maldade nos seus olhos
o fumo a sair das narinas embacia a verdade
Ouço agora cada vez mais longe os teus passos
até se tornarem um simples ruído que se confunde com
o despertar da cidade...

Marisa Caetano

9 comentários:

Multiolhares disse...

E assim vaz«mos passando pela vida, vivendo sem viver
beijos

ricardo emilio bianco disse...

que buena composición: fotográfica y de palabras

cuentosbrujos disse...

Magnifico punto de vista
saludos brujos¡¡

Gaspar de Jesus disse...

Marisa
Vamos então aproveitar a vida e procurar viver bem.
Excelente esta Fotografia Urbana!
Parabéns
Bjs
G.J.

jvasco.fotografia disse...

Gosto desta maneira de olhar os passos seguros

Maria, Simplesmente disse...

Quem todos os dias segue os mesmos passos, na mesma direcção tem um rumo certo, seja ele qual for.
Eu não gosto de rumos certinhos, gosto de variar os rumos, mantendo no entanto sempre o mesmo ritmo nos passos que dou.
Bj
Maria

CR disse...

Olá Marisa.
Um poema profundo, sem dúvida, onde as cores e os sons das palavras nos levam a um momento de nostalgia.
Sugestiva também a fotografia. Parabéns.
Beijinho.

Maria Eugenia Ponte disse...

Marisa, eu vi que já tinhas este prémio mas acho que pela beleza do teu blogue, tanto em imagens como em palavras, bem que podes bisar, não é mesmo?
Obrigada pelo teu apoio e carinho.
Podes ver o teu "bis" no meu blogue:
Artesanato:

PS - coloquei novas fotos da tua caixinha, estas estão melhores, não estão "flashadas" como as outras.

Beijinhos.

Pedaços de Tempo disse...

Gostei da tua prosa poética. É a vida menina, cabe-nos a nós e só a nós, alterá-la para melhor.

Esta é uma das tuas fotos que mais me agradou, pela sua diferente perspectiva.

Se gostares também de crónicas de viagens, dá uma vista de olhos ao meu blog: carlosribeiro-photos.blogspot.com e procura o post "Devagar, devagarinho, parado.." que foi publicado no mês Julho no Jornal de Notícias e Diário de Notícias e, comenta a tua verdade..

Bjs,
CR/de